Azeite pode ir ao fogo. Mito ou verdade?

cozinhar com azeite duidalio

Pode reparar… Tem épocas que acontece com os ovos…

Ovo faz bem, tem proteínas, protege o sistema x, é um alimento y, que se consumido diariamente melhoram os níveis do colesterol e bla, bla, bla…

Não passa muito tempo aparece uma antítese, sugerindo completamente o oposto (ou reforçando um “outro lado da força”) e adicionando mais um caminhão de poréns.

Aí… de repente, acontece algo parecido com outro tipo de alimento. Já reparou como de vez em quando surge alguma coisa parecida com essa historinha do ovo?

Pois é... chegou a hora das gorduras!

Se você é um amante da boa gastronomia ou só come pra matar a fome, não importa… Com certeza você já ouviu falar sobre usar azeite para cozinhar e fritar alimentos, não é mesmo?

E é quase sempre igual…

É um desperdício usar azeite caro para fritar a carne? Algumas pessoas questionam se isso é realmente possível e se é de fato benéfico para a saúde.

E agora. Azeite pode ir ao fogo? Mito ou verdade?

É VERDADE!

O azeite pode ir ao fogo sim, sem malefício nenhum para a sua saúde. Acreditava-se, há algum tempo, que as moléculas de gordura do azeite de oliva seriam queimadas a uma temperatura inferior à dos demais óleos e, por isso, ele produziria aldeídos e outros compostos químicos que poderiam ser tóxicos e dariam um sabor ácido para os alimentos.

No entanto, essa tese é falsa e diversos estudos revelam que o azeite de oliva – tanto o comum, quanto o extra virgem – permanece sem se decompor a temperaturas elevadas e produz menos aditivos químicos do que os outros óleos.

Azeite ou outros óleos para cozinhar?

Dessa forma, o azeite é o mais recomendado por especialistas para fritar e cozinhar, já que os seus componentes são menos danosos para o corpo humano, se comparado ao óleo de cozinha por exemplo.

Óleos como os vegetais (comuns como soja e canola) possuem quantidades consideráveis de gorduras polinsaturadas (muitas insaturações – são fracos ao calor), inclusive alto teor de ômega 6 (inflamatório) e baixa de ômega 3 (antiinflamatório), onde essas gorduras poderão sofrer alterações através dos processos de cozimento. 

Quando superaquecidos, eles podem formar vários compostos nocivos, incluindo os peróxidos lipídicos e aldeídos que, comprovadamente, podem contribuir para o surgimento de câncer.

O papo estava meio chato até aparecer a palavra Câncer. Agora tudo dá Câncer… como assim?

Não tem muito mistério, eu explico…

Ao cozinhar com estes óleos, alguns dos compostos carcinogênicos vaporizam e podem contribuir para o câncer de pulmão, quando inalado. Por isso, apenas só de estar presente em uma cozinha onde são utilizados estes óleos, você já pode estar correndo perigo. E já dizia o velho ditado, né: “com saúde, minha filha, não se brinca!”

Azeite SEMPRE!

Portanto, seja para temperar saladas e outros petiscos, ou para cozinhar e fritar, o azeite é a melhor indicação sempre. Deixe de lado o mito que ele não pode ir ao fogo. Apenas dê preferência ao azeite virgem para cozimentos e ao extra-virgem para alimentos que não vão serão aquecidos. As propriedades do azeite virgem se acentuam melhor com o fogo.

Agora que você já sabe tudo sobre a utilização do azeite para cozinhar, vou te apresentar o azeite de oliva extravirgem Du Idálio.

Tudo o que você tem que fazer é clicar nesse link abaixo e fazer seu cadastro para receber este pdf (COMO ESCOLHER UM BOM AZEITE + 12 receitas).

Bom apetite!

Categorias: Artigo

5 comentários

Eunice · 02/04/2019 às 07:53

Obrigado, muito informativo!

deusa · 26/04/2019 às 13:27

Ótima matéria!!!

    Azeite Du Idálio · 22/05/2019 às 17:18

    😃

    Jacqueline · 12/08/2020 às 07:50

    Obrigado , não sabia que o azeite virgem era pra cozimento e o extravirgem para saladas.

Brígida · 15/11/2020 às 18:10

Excelente matéria. Muito grata pelo Ebook.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *